quinta-feira, 2 de junho de 2016

10 sinais de ansiedade aos exames


Na época de exames os jovens estão expostos a níveis de ansiedade mais elevada do que em qualquer outro momento do ano. No caso de sentir que o seu filho demonstra intensa preocupação, antes ou durante os testes e costuma apresentar queixas de índole física, pode estar a desenvolver ansiedade de desempenho, o que é prejudicial a nível escolar.

O que acontece com as crianças ou adolescentes que sofrem de ansiedade de desempenho?

Quando sofrem dessa perturbação, os jovens até podem saber muito bem a matéria, mas na altura do teste ou do exame parece que todo o esforço não valeu de nada, porque a ansiedade que sentem é tão intensa que o seu pensamento bloqueia e não conseguem responder a muitas das questões durante a avaliação, isto é, o seu nível de ansiedade é tão elevado que impede o acesso à informação necessária naquele momento. Estas situações fazem com que as notas dos testes, na maioria das vezes não correspondam ao conhecimento que possuem das matérias e os resultados dos testes sejam inferiores às suas expectativas. 

Podemos afirmar que a ansiedade de desempenho ocorre quando existirem sintomas ansiosos em situações passíveis de originar uma avaliação do seu comportamento. Muitas vezes os jovens que sofrem de ansiedade de desempenho, tendem a evitar contextos onde se sentem expostos, o que contribui para o aumento não só de problemas escolares, mas também comportamentais.

Em seguida destacamos os 10 indicadores de ansiedade de desempenho que os jovens costumam apresentar quando sofrem desta perturbação.

1- Refere com frequência frases do tipo "sei que não vou conseguir, estudei tudo, mas acho que me vou esquecer da matéria durante o teste…e se não me conseguir lembrar... tenho receio de bloquear".

2- Verbaliza algumas vezes que se esqueceu de determinada matéria durante o teste – “deu-me uma branca”.

3- Tem notas inferiores às suas expectativas mesmo estando bem preparado.

4- Dificuldade em responder a algumas questões, nos testes ou na sala de aula por receio de errar.

5- No dia anterior aos testes ou quando tem de fazer apresentações ou até por ter de falar para a sua turma, demostra com frequência grande preocupação com o seu desempenho ou tem dificuldade em dormir.

6- Denotam-se sinais frequentes de ansiedade como inquietude, indisposição, corar, voz tremula, maior transpiração no corpo ou mãos, nos momentos que antecedem as avaliações.

7- Receia o início de um novo ano letivo ou período, especialmente no último pelo receio dos resultados finais. Parte inferior do formulário

8- Passa os intervalos a ler os resumos até ao início do teste.

9- Recusa frequentemente atividades em que tem de se expor.

10- Demostra muita preocupação do que as outras pessoas possam pensar dele em diversos contextos.


Se após esta análise, percebe que o seu filho apresenta estes sinais e apresenta desconforto e preocupação relativamente às situações de avaliação ou a ansiedade que sente está a comprometer o seu bem-estar, é possível que esteja a sofrer de ansiedade de desempenho, sendo recomendável que procure um especialista para que seja feita uma avaliação psicológica e evitar que estes sintomas se agravem e condicionem o seu sucesso escolar.

É recomendável que seja realizada uma avaliação do nível de stress e se for elevado, deve recorrer a algumas sessões de psicoterapia para atenuar este tipo de sintomas. Esta ajuda permitir-lhe-á atingir melhores resultados nas avaliações, especialmente porque o efeito deste acompanhamento perdura, permitindo-lhe que em situações de avaliações futuras, recorra às estratégias aprendidas e, também possibilita o conhecimento de formas simples, mas eficientes de promover a resiliência dos jovens.

O acompanhamento dos jovens nesta altura do ano faz toda a diferença, é que além de aumentar o seu bem-estar psicológico, também permite a redução dos sintomas associados a problemas de desempenho, comportamentais e de saúde.

A intervenção psicoterapêutica ajuda jovens não só a desenvolverem estratégias eficazes para melhorarem o seu desempenho, como a efetivar as mudanças necessárias na sua forma de sentir, pensar ou agir, aumentando assim o seu bem-estar durante o seu desenvolvimento. Além de possibilitar o desenvolvimento de recursos internos, como forma de aprenderem a lidar melhor com algumas dificuldades, tais como, inquietude, ansiedade aos testes, relacionamentos conflituosos ou estados de tristeza.

Este tipo de intervenção, em casos de sintomatologia ansiosa durantes os exames é uma ajuda imprescindível, pelo facto de permitir diminuir a ansiedade, cujos sintomas podem prejudicar as seus resultados escolares e comprometer as  relações interpessoais, mas também para prevenir o risco de desenvolverem depressão na idade adulta.



Sem comentários:

Publicar um comentário