Explicar a morte às crianças



Como abordar um tema tão delicado com as crianças, quando os próprios adultos desconhece e, tem tanta dificuldade em lidar com a morte, especialmente quando alguém afetivamente importante morre à sua volta.

Se nem sempre os adultos conseguem lidar com o sucedido, como podem as crianças perceber esta fatalidade que acontece com todas as pessoas diariamente, independentemente da idade...quantas vezes a maior parte de nós não aceita e não entende, o porquê de acontecerem coisas más a pessoas tão boas para nós...quando também os adultos não sabem responder as estas questões, nem têm respostas para eles mesmo. Se existem tantas dúvidas em adultos, será que conseguimos imaginar o quanto deve ser difícil para uma criança lidar com a morte de alguém.

Devemos abordar o tema com tranquilidade e ter em conta, especialmente a idade da criança em questão. A explicação pode ser dada consoante o conceito de morte de cada pessoa ou em função das  suas crenças religiosas. Mas ,devemos ter muito cuidado com a escolha das palavras utilizadas para não causar ainda maior confusão nas suas cabecitas ou para não as perturbar ainda mais.

É por volta dos 4 anos que as crianças começam a colocar questões, tais como, o
 que é Morrer? A pessoa vai para onde? Pode voltar? E se a quisermos ver?Referir que a morte significa que a pessoa já não está entre nós, porque a vida dessa pessoa terminou e tentar esclarecer todas as dúvidas, numa linguagem simples e adequada à idade da criança. 

Facultar espaço e tempo para a criança exteriorizar os seus sentimentos. Se a criança fica triste, é importante reconfortá-la e estar atento ao seu comportamento. Ser compreensivo se tiver atitudes pouco habituais, como fazer mais birras, não conseguir dormir, tiver pesadelos, choramingar sem razão aparente, ser mais desafiante.

Explicar que a pessoa desapareceu ou que a perdemos, são respostas vagas...são pouco esclarecedoras. Comentários deste tipo não ajudam a criança a entender que a pessoa deixou de viver... que a sua vida chegou ao fim e deixou de estar entre nós.

Sem comentários:

Publicar um comentário