Como agir nos bons e maus comportamentos





Quando a criança se porta mal o que fazer?
Se a criança se portar mal ou fizer algum tipo de birra e não quiser cumprir a regra que foi imposta, relembre-a do que ficou definido em tom calmo, avise-a que tem oportunidade de ainda fazer o que lhe foi pedido, e se não fizer, faça-a perceber que é ela que está a escolher ser castigada e a preferir as consequências.
Muitas vezes as crianças quando têm comportamentos inadequados ou fazem birras, na maioria das vezes, são uma forma de fugir ao que não desejam realizar ou cumprir, por essa razão, nunca se deve ceder a uma birra.
No caso de o adulto deixar de aplicar a consequência relativa a determinado disparate, pelo facto da criança fazer birra, só agrava a situação porque na próxima vez que pretender um comportamento adequado, a birra surgirá de um modo ainda mais intenso e a criança terá uma atitude de teimosia mais persistente para conseguir o mesmo que da última vez e protestar até sentir que o adulto reconsidere e desista de aplicar determinada regra. Sempre que ceder, a criança ganha maior resistência à imposição de regras.   
No caso de a criança ter um comportamento desapropriado, os castigos/consequências são fundamentais para que a criança perceba que existem consequências para determinado  tipo de comportamentos. Sempre que deixar de ser penalizada, nos momentos em que cumprir o que é suposto, não sentirá necessidade de as cumprir, sendo assim, indiferente cumprir ou não as regras.
Nos momentos em que a criança está a realizar a tarefa solicitada, se perceber se está com dificuldades ajude-a, mas deixe-a continuar a fazer a tarefa, desta forma, aprende a fazer e na próxima vez já saberá como fazer. 

Quando a criança se porta bem o que fazer?

Não evidencie só o comportamento inadequado da criança, dê a mesma importância ao seu comportamento quando se porta bem. Exemplo se lhe ralha quando se porta mal, elogie também quando se porta bem. 
As crianças têm necessidade de ter a atenção dos pais e, se não a conseguem quando se portam bem, irão portar-se mal para obter a sua atenção.
Quando a criança realiza algo adequadamente por sua iniciativa, deve ser muito elogiada. Dar-lhe atenção, pela positiva, contribuirá para que proceda com comportamentos semelhantes em contextos semelhantes. Enquanto sentir atenção pela positiva, a criança continuará a ter esse tipo de comportamento só para ser elogiada, tais como por exemplo, nos momentos em que lava os dentes ou se veste sozinha sem ser avisada para tal, como quando arruma a mochila para o dia seguinte ou faz os trabalhos de casa, ajuda a colocar a mesa, arruma os brinquedos...
Quando a criança faz algumas tarefas sem que ninguém tenha de a lembrar, elogie-a muito pelo que fez. As crianças adoram ser elogiadas pelo que fazem e serem o centro da atenção dos pais. Se sentirem que tiveram atenção e que foram elogiadas ao procederem de determinada maneira, as probabilidades de continuarem a comportarem-se bem aumentam, só para terem atenção a sua atenção e, paralelamente os seus comportamentos mais desadequados diminuem.

É importante que os pais, não concentrem a sua atenção, só no mau comportamento da criança, mas especialmente a atribuírem igual importância nos momentos em que têm bom comportamento.
 






Sem comentários:

Publicar um comentário