segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Dislexia


Dislexia = Dis (dificuldade; separação) + lexia (léxico; palavra)  = Dificuldade com as palavras.
A Dislexia é uma perturbação de aprendizagem da leitura e escrita, apesar da criança apresentar uma inteligência normal ou superior e de não existirem perturbações sensoriais ou neurológicas. Esta perturbação não está relacionada com o tipo de educação ou com o método de ensino.
É uma perturbação da precisão ou fluência da leitura de palavras, existindo uma fraca competência ortográfica, que se apresenta na dificuldade em adquirir o mecanismo da aprendizagem da leitura e escrita, resulta de um défice na componente fonológica da linguagem. As crianças não conseguem associar corretamente os fonemas (sons) aos grafemas (letras).
A Dislexia tem tratamento?
Não, a Dislexia é uma doença que permanece durante toda a vida. É importante por isso que o seu diagnóstico seja realizado precocemente, para ajudar a criança a lidar com as suas dificuldades, quando começa a ler e a escrever. 
A dislexia é frequente em crianças? 

A dislexia é uma perturbação de aprendizagem que influencia a leitura e a escrita, originando baixo rendimento escolar. Estima-se que mundialmente afete entre 5 a 17% da população, sendo mais frequente em meninos.

Quais são os sinais a ter em conta na dislexia?

A criança com dislexia apresenta dificuldades significativas na leitura e na escrita. Ocorrência de incorreções de palavras ao ler, dificuldades na compreensão dos textos, fluência e velocidade da leitura abaixo do esperado para a sua idade, dificuldades na construção de frases com muitos erros ortográficos. Troca letras, omissões, substituições de letras e silabas, caligrafia irregular, entre outros.
A criança que revela dificuldades na leitura e escrita é disléxica?
Não, existem outras perturbações que podem comprometer a aprendizagem da leitura e escrita. É por esse motivo importante, diagnosticar se a criança tem outro tipo de problemas que possam estar a influenciar a aprendizagem, tais como, visão, audição, existência de deficit de atenção, problemas cognitivos ou emocionais. Mas, é verdade que toda a criança com dificuldade na leitura e na escrita é Disléxica. 
Quais os sinais frequentes na Infância?
*Atraso na linguagem – A criança diz as primeiras palavras e constrói frases mais tarde do que é comum.
*Problemas na linguagem – A sua linguagem é abebezada e tem dificuldades em dizer alguns sons.
*Não repara nos objetos por onde passa tropeçando e caindo com frequência.
*Dificuldades na memorização de canções infantis, rimas e lengalengas.

Como diagnosticar a Dislexia?
A avaliação da Dislexia deve ser elaborado por psicólogos, neuropsicólogos ou neuropediatras. É necessário verificar se na família da criança, existem casos de Dislexia,   dificuldades de aprendizagem ou se durante o desenvolvimento da criança surgiram algumas situações que expliquem tais dificuldades.

Existe algum tratamento para a dislexia?
As crianças com Dislexia devem ser acompanhadas por profissionais com esse tipo de formação. Não existe nenhum método de reabilitação eficiente. O acompanhamento deve ser estruturado especificamente para determinada criança, tendo como objetivo, não a sua cura, uma vez que a Dislexia é uma perturbação de aprendizagem permanente que persiste até a idade adulta, mas quanto mais rápida for a intervenção, melhor será o desempenho da criança na escola.

Quando se pode ter a certeza que a criança é disléxica?
Existem alguns sinais de Dislexia que ocorreram durante a infância e muitas dificuldades, no início da aprendizagem da leitura e escrita que não podem ser descuradas. Tais dificuldades devem ser precocemente avaliadas, no entanto, o diagnóstico conclusivo de Dislexia só deve ser realizado no fim 2º ano de escolaridade.

Quais os sinais de Dislexia em idade escolar?
*Problemas de lateralidade, confunde constantemente a esquerda com a direita;
*Dificuldades na leitura e escrita: demora muito tempo a memorizar as letras, apresenta muita dificuldade a ler e a escrever;
*Nas atividades que requerem destreza manual, o seu desempenho é desastroso;
*Leitura silabada, com dificuldade em dividir as palavras em sílabas e fonemas;
*Leitura com muitas incorreções, saltando palavras ou linhas;
*Fluência da leitura significativamente abaixo do esperado para a idade e nível escolar;
*Enorme dificuldade na descodificação grafema-fonema e leitura automática de palavras, como por exemplo, biblioteca/bioteca, batata/bata, livraria/livro....
*Omite ou adiciona letras e sílabas (ex: famosa-fama; casaco-casa; livro-livo; batata-bata; biblioteca/bioteca;
*Troca letras com sons idênticos, tais como por exemplo: f/v; p/b; p/t; v/z; b/d; b-v; s; f-t; m-n; f-v; g-j; ch-x; x/ch-j…
*Pode escrever letras em espelho;
*Quando a criança lê sozinha tem dificuldade em compreender e interpretar os textos, no entanto, se os mesmos textos forem lidos oralmente por outra pessoa a sua compreensão é normal;
*Na escrita comete muitos erros ortográficos;
*Tenta evitar todos os momentos de leitura ou atividades relacionadas com a leitura e escrita;
*A sua caligrafia é irregular, disforme e a letra aparece muitas vezes rasurada;
*Dificuldade em exprimir ideias e em organizar frases ou textos, utilizando pouco vocabulário ao escrever;
*Problemas de atenção, a criança distrai-se com muita facilidade;
*Demora muito tempo a fazer os trabalhos de casa. A criança sente-se rapidamente cansada;
*Ritmos de aprendizagem divergentes – Em determinados períodos a criança consegue acompanhar a matéria lecionada, noutros não consegue, dando muitas vezes a impressão de ter esquecido o que aprendeu;
*Dificuldade em recordar e processar informações verbais;
*Dificuldade em aprender uma língua estrangeira, principalmente Inglês;
*Dificuldade em efetuar tarefas diferentes e sequenciais;
*Demonstra pouco interesse em realizar as atividades escolares;
*Os resultados nas avaliações são inferiores à sua capacidade intelectual.

Estes sinais não precisam de se verificar todos em simultâneo para que seja diagnosticada uma Dislexia. As dificuldades apresentadas pela criança, sugerem a possibilidade de um possível diagnóstico de Dislexia, sendo necessário analisar quais as razões para tais dificuldades.

Como os pais podem ajudar?
Os pais devem estar atentos aos sinais frequentes na infância e no início da escolaridade, nomeadamente, em caso de existirem dificuldades significativas, no momento em que as crianças iniciam a aprendizagem da leitura e escrita. Nesse caso, devem procurar um profissional para efetuar um diagnóstico precoce. Avaliar as suas dificuldades, permite ajudá-la a desenvolver estratégias adequadas, por forma a promover competências, minimizando deste modo, o impacto destas limitações no seu desenvolvimento e consequentemente na sua vida futura.
É importante não diferenciar, estigmatizar ou superproteger a criança, mas motivá-la a trabalhar, por forma a minimizar suas dificuldades.

Em suma, a Dislexia é uma perturbação de aprendizagem da leitura e escrita, não está relacionada com desatenção, falta de motivação, problemas cognitivos ou emocionais. Ocorre em crianças com inteligência normal ou superior e permanece durante a vida adulta.