quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Como ajudar a criança a pensar melhor




Os educadores devem estimular o pensamento da criança, permitindo-lhe que pense por si própria.


Como educadores temos a responsabilidade de os ajudar a resolver problemas, de forma autónoma e responsável, evitando transmitir a todos os momentos o que devem fazer em determinadas circunstância, porque não perguntar-lhe sempre que possível, qual é a sua opinião ou o que estão a sentir em determinadas situações.

Pretendemos muitas vezes impedir o sofrimento das crianças e evitar que elas cometam os mesmos erros que nós próprios cometemos, mas desta forma, não estamos a permitir que realizem o seu próprio percurso de aprendizagem, nem o desenvolvimento das suas competências.

O objectivo é ensinar-lhes a pensar por si e, a terem comportamentos dentro das linhas de conduta transmitidas pelos educadores, mas com abertura de espaço para manifestarem a sua criatividade e iniciativa quando têm de enfrentar e resolver os problemas com que se deparam. Desta forma, está a permitir que desenvolvam recursos comportamentais e emocionais para aumentar a sua capacidade de adaptação às contrariedades que apareçam ao longo a vida.

A sua função como educador é ensinar-lhe quais as ferramentas que pode utilizar para lidar com as vicissitudes, só com essas aprendizagens é que a criança pode crescer de forma saudável.

A criança ao errar também está a aprender!


Perguntar por perguntar é um divertimento e exercita a arte da comunicação.

As explicações devem ser simples e adequadas à idade da criança, para que entenda o que é explicado e não se aborreça.

Responder com bom senso, mesmo que nem sempre a criança entenda toda a explicação, percebe que todas as perguntas têm resposta, enriquece o vocabulário e fomenta a curiosidade. Responder com pequenas comparações ou dar exemplos ajudam a entender melhor as explicações.

É um divertimento interessante e útil, sendo necessário estimular a criança para que a criatividade floresça!